Nos primeiros anos de vida do bebé, o seu hábito de sucção proporciona-lhe uma sensação de bem estar e acolhimento. A amamentação preenche assim esse instinto, “criando’ no entanto o “problema” de termos que ter um método de substituição de um conforto que a criança tem necessidade de sentir quando não está a ser amamentada.

E é aí que entra para o “cenário” a “aliada” chupeta que pode ser utilizada como apoio para acalmar o bebé ou a criança nas mais diversas situações.

Eis que com o crescimento, surge a situação de termos que retirar a chupeta do quotidiano da criança por forma a não comprometer a sua saúde oral e o seu crescimento facial.

Assim segundo a Dra. Maria João Silva “...a criança na fase de maturação e crescimento tem que perceber e entender que existem alternativas…” devendo assim ser retirada a chupeta de uma forma gradual, não só pela questão social e desenvolvimento psicomotor da criança mas também pela parte dentária, onde o crescimento e desenvolvimento ósseo quase sempre se vai processar erradamente.

Ainda segundo a Dra. Maria João Silva, “...uma criança que utiliza continuamente a chucha…”, “...terá implicações não só a nível estético mas acima de tudo funcionais…”, nomeadamente ao nível da fala e deglutição.

A sucção não nutritiva ( uso da chupeta de forma contínua )  modifica o padrão de crescimento facial da criança, alterando o posicionamento dos dentes a longo prazo, causando  algumas disfunções como alterações no modo respiratório e na postura da língua que podem comprometer a mastigação e prejudicar a fala como comprometendo a articulação dos sons. 

Os danos causados irão variar de acordo com a frequência e intensidade que se dá ao uso da chupeta, não deixando de referenciar que, neste artigo “apenas” queremos passar a mensagem de que a criança não pode usar a chupeta como um “conforto eterno”, pelo que cabe aos pais ficarem atentos ao uso da mesma, tendo o cuidado de, quando a retirarem, não o fazerem de uma forma brusca. 

Com o comprometimento da arcada dentária a tornar-se evidente, torna-se praticamente consensual  que a retirada da chupeta deva ocorrer até aos 2 anos de idade, altura em que se encerra o crescimento de todas as funções orais da criança.

Confira o vídeo abaixo, e esperamos ter sido esclarecedores sobre o tema, mas, caso tenham dúvidas por favor queiram comentar no post das redes sociais que de imediato esclarecemos. 

Marcar uma Consulta
Nome (Obrigatório)
Telémovel (Obrigatório)
Data pretendida (Obrigatório)
Especialidade
Observações
Transcreva os seguintes números: 5426
Fechar
Será contactado pelos nossos serviços logo que possível para confirmar a consulta.
Será contactado pelos nossos serviços logo que possível para confirmar a consulta.